Blog

Dicas na hora de comprar
31 Mai

Dicas na hora de comprar

A busca incessante por produtos sem glúten tem alterado o comportamento das pessoas na hora das compras, deixando sempre aquele alerta no ar. Apesar da quantidade de produtos terem aumentado nos últimos tempos, dando muito mais opções para as pessoas com restrições, será que podemos confiar 100% em todos os produtos que se dizem sem glúten? Por essa dúvida constante na vida dos celíacos que trouxemos algumas dicas para não ter erro na hora de comprar.

 

Fique atento aos Rótulos!

O rótulo de alimentos é uma importante fonte de informações para o consumidor, contendo os ingredientes, a data de validade e demais informações nutricionais sobre aquele alimento. Eles ajudam a esclarecer dúvidas e compreender melhor o que estamos comendo. Por isso é muito importante prestar atenção nesse detalhe na hora de escolher os alimentos verificando se não há nenhum resquício de glúten.

 

Entenda sobre a contaminação cruzada;

Um dos maiores riscos para pessoas com restrições alimentares é a contaminação cruzada.

Mas o que é essa contaminação cruzada? Esse tipo de contaminação, pode acontecer através da transferência de microrganismos de um alimento ou superfície, por meio de utensílios, equipamentos ou do próprio manipulador.

Evitar com que a Contaminação Cruzada aconteça é a melhor forma de prevenir surtos alimentares que pode gerar grandes transtornos na saúde, segurança alimentar e no seu próprio bem-estar.

Mas como posso evitar? Você pode evitar através de pequenos cuidados no dia-a-dia, como por exemplo a higienização correta dos alimentos, das mãos e dos utensílios e equipamentos utilizados durante o processo. O cuidado no armazenamento em separar os alimentos de origens diferentes, ou os crus dos cozidos também é uma forma de evitar a contaminação cruzada.

Verificar a procedência das empresas e alimentos consumidos também é uma ótima forma de garantir a confiança no que está sendo adquirido. Pesquise sobre a empresa, sobre os processos que seu alimento passou e também verifique se há avaliações sobre a índole da mesma.  

Podemos falar por nós, aqui na BemNutrir trabalhamos com total transparência. Produzimos apenas alimentos sem nenhum contato com glúten, com ingredientes vindo de fornecedores que seguem à risca nossos termos e condições. Porque levamos muito à sério as necessidades dos nossos clientes.

 

 Em virtude dos fatos apresentados o ideal é estar sempre alerta e não se deixar enganar por falta de informações. Pesquise, informe-se e leia sobre cada alimento que está presente nos seus dias. Esperamos que tenham gostado das nossas dicas e fiquem ligados em nossas redes sociais, pois sempre estamos postando dicas e informações sobre os nossos produtos.

Conversa com Juçá Vargas
05 Abr

Conversa com Juçá Vargas

Minha vida mudou: de repente, Celíaca!

 

Juçá Vargas tem 57 anos, casada, com dois filhos, é voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer e residente em Blumenau. Descobriu ser celíaca há 14 anos. Desde pequena, queixava-se de alguns dos sintomas da doença, como dor no estômago. Mas, por não se tratar – à época – de uma enfermidade tão bem conhecida quanto nos dias atuais, acabava levando todos os efeitos da doença como algo normal e rotineiro. Nessa situação, Juçá começou a emagrecer muito e então, decidiu procurar um Gastroenterologista. Após a primeira endoscopia, biópsia e exame de sangue, descobriu ser celíaca. Com a descoberta tardia, muitos problemas apareceram, à exemplo da osteoporose prematura.

 

Juçá, àquele tempo, não fazia ideia do que se tratava, muito menos como se tratava. Com a ajuda de Nutricionista, teve sua dieta corrigida e retirou por completo o glúten da sua alimentação. No início, teve dificuldades para encontrar produtos que pudesse consumir. Sua qualidade de vida melhorou consideravelmente, à medida em que – em virtude das diversas consequências causadas pela ingestão inconsciente de produtos contaminados com glúten durante toda sua vida – já havia criado certa repulsa por tais produtos, como pães e biscoitos de trigo.

 

Mas para corrigir sua alimentação e manter um adequado nível de ingestão de carboidratos, Juçá foi pouco a pouco quebrando o paradigma que lhe acompanhava durante a vida: produtos que antes eram intitulados como odiados (pães, biscoitos, massas) pelo mal que causavam, agora passaram, através das linhas especiais de importados e nacionais sem glúten, a ser seus preferidos e inseparáveis companheiros do dia-a-dia.

Para a nossa alegria, ela comenta que é cativa da BemNutrir, pois só consome os nossos pães. E, para nós, é excelente saber que nossa missão está sendo cumprida!

 

Juçá comentou que não foi apenas a alimentação dela que sofreu mudanças. Em casa, toda a família passou a ter os mesmos hábitos e se adaptou facilmente, pois, segundo eles, os produtos são ainda mais gostosos e diminuem a sensação de “inchaço” após o consumo. E na hora de comer algo que está fora da dieta da esposa, marido e filhos tem os seus utensílios e panelas especiais para cozinhar suas massas ou derivados de trigo.

 

“Nossa, deve ser ruim ter que viver assim!”, afirmavam seus colegas e amigos. “Mas, pelo contrário!”, foi o que a Juçá nos relatou. Adaptou-se muito bem e super-rápido, de modo que se sente mais feliz e disposta! Sempre que quer, consegue criar sobremesas e outras opções saborosas com os produtos sem glúten. “A única coisa que sentia muita saudade de comer era um X-Salada!”, disse ela em risos. Algo que fora eliminado de sua lista de desejos, pois descobriu um lugar, em sua cidade de residência, que faz um delicioso, totalmente sem glúten.

 

Muitas vezes ficamos presos ao lado negativo que deixamos de viver o lado bom do que está a nossa frente. Essa conversa nos mostra exatamente isso. Juçá, mesmo após tantas mudanças, sente-se muito melhor e feliz. Parou de ter dores e passou a ter qualidade de vida! Ela cuida rigorosamente de sua dieta, mas não se limitou a ficar dependente de um ou outro item passível de consumo: abriu sua mente e espírito a novas formas de se alimentar.

 

Adora fazer o que faz hoje e participa semanalmente dos projetos da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Blumenau. “Nós, como voluntárias, recebemos muito mais do que a gente entrega”, afirmou Juçá, demonstrando como é contente em se engajar, fazer a sua parte e ver como essas mulheres transformam a sua forma de ver as coisas.

 

Encerramos nossa conversa com uma frase de Dalai Lama que Juçá nos deixou: “Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver”.

 

Obrigada, Juçá, por conceder um pedacinho do seu tempo para compartilhar sua história e inspirar celíacos por todo o Brasil. Viver bem, viver hoje, viver agora! Obrigada!

 

Continuem acompanhando nossas redes sociais e nosso blog. Teremos muito mais histórias como a de Juçá, além de dicas, receitas e muito mais. Estamos só começando!

 

Leia Também:

- Criança Celíaca: Os primeiros passos para uma boa relação

Criança Celíaca: Os primeiros passos para uma boa relação
20 Mar

Criança Celíaca: Os primeiros passos para uma boa relação

 “Descobri recentemente que meu filho é celíaco”. Essa é uma frase muito comum de muitas mães por todo o Brasil que as vezes acabam “caindo de paraquedas” nesse novo mundo. Se você ainda não conhece a doença celíaca, ela é genética e mantém-se por toda vida, as vezes inativa ou ativa. No caso quando ativa começa a interferir no processo de digestão e absorção dos nutrientes para a corrente sanguínea quando alimentos com glúten são ingeridos. O que é muito grave.

 

Por esse motivo é preciso buscar por alimentos que não contém glúten. E não só isso, ter acompanhamento de médico e também de uma nutricionista, para uma equilibrada e saudável alimentação. Mas além das preocupações de rotina que vêem no pacote, a parte psicológica dos pais e das próprias crianças deve ser avaliada com muito cuidado e amor. Trouxemos algumas dicas para ajudar você como parente o mãe/pai nessa situação. 

 

  1. Para começar: Uma boa conversa

Transparência total é necessária em uma primeira conversa. A criança mesmo que pequena, deve entender o que está acontecendo com o seu corpinho, e que agora a sua rotina e alimentação serão diferentes. Mas lembre-se! Sempre mostre de forma positiva tudo isso que está acontecendo, de maneira que a criança entenda como isso é bom e trará benefícios para ela.

Não precisa de hora marcada para conversar.  A ideia é que todos da família e amigos entendam o que o seu filho está passando e consigam colaborar de forma positiva com isso, sem frases que o desmotivem. Saiba! Não será apenas uma conversa, serão meses ou até anos de orientações e aceitação.

 

  1. Torne sua casa um ambiente neutro

Os pais nesse momento devem ser cautelosos na hora de fazer a compra do mercado. Pois produtos com glúten não podem ficar de fácil acesso para as crianças. Ou, de preferência, que não os tenham em casa, para ajudar o filho a se sentir seguro e tranquilo dentro de casa. Outro ponto importante é cuidar com a contaminação cruzada de alimentos, que acontece quando o produto possui traços de trigo porém é considerado sem glúten.

 

  1. Recompense seu filho por seguir a dieta

Uma opção interessante para começar uma relação saudável entre a criança e seu novo hábito de vida é criar proposta de recompensas pequenas. Conforme ele se mantém na dieta, resiste a alimentos proibidos e consegue lhe dar melhor com a situação no dia-a-dia, será recompensado com diversão, passeios e o que mais for adequado para os pais e do seu interesse. Assim ele se sentirá motivado a continuar e verá como pode ser bom e vantajoso se manter na dieta, até ele alcançar uma maturidade para entender que vai além do “querer” ou “dever”.  Mas por hora ele deve mesmo somente se preocupar com o seu papel de criança que é se divertir, ter bons momentos em família, aprender e descobrir.

 

  1. Ofereça outras alternativas

Quando a vontade de comer uma guloseima ou até mesmo um simples pão com queijo e presunto chegar vai ser difícil. Mas seja forte e tente contornar a situação oferecendo produtos que possam substituir aquele que ele deseja no momento. Positividade, leveza e amor na hora de propor uma melhor opção alimentar é essencial. Quanto mais ele compreender toda sua relação com a ingestão do glúten e sintomas, mais terá consciência e responsabilidade para não burlar a dieta, mesmo quando não tiver perto dos pais ou familiares e amigos que sabem do seu caso.  

Importante! Destaque ao seu filho como é bom e satisfatório se sentir melhor, graças as comidas sem glúten que ele vem consumindo.

 

  1. Informe-se sobre o assunto

A lei federal 10.674, de 2003, obriga que a indústria alimentícia informe, no rótulo dos produtos, se eles “contêm glúten” ou “não contêm glúten”. Assim facilita para que você consiga verificar de primeira o que pode ou não trazer para casa. Mas é indicado que você leia atentamente o rótulo de cada produto e pesquise sobre as empresas/marcas que os produzem.

O Sabor não será igual ao de um produto tradicional, mas com a tecnologia e avanço de hoje, os celíacos ganham, a cada dia, alternativas gostosas e nutritivas, principalmente ao evitar a farinha de trigo. Muitas marcas já atendem com muito sabor e qualidade esse nicho de mercado.

 

  1. Pense em você e tenha equilíbrio.

Não se sobrecarregue com toda a situação. Compartilhar o seu momento com familiares e amigos, ou até um terapeuta, será muito bom para você refletir e contornar o que vem sentido como mãe ou pai. Mas cuidado! Se você se sobrecarregar de mais pode acabar se exaltando e levando esse sentimento de insatisfação para o seu filho. Sentimento de culpa ou pena são péssimos para o processo. A criança pode ser pôr em papel de vítima ou culpado, o que não é nada saudável para o seu desenvolvimento social.

 

Esperamos ter colaborado com essas pequenas e breves dicas. E lembre-se, tudo isso deve ser praticado com muito amor e carinho. Infelizmente hoje não há outras maneiras de contornar a intolerância ou restrição alimentar, se não por meio de uma mudança alimentar. Mas ficamos felizes em poder atender esse mercado, e levar produtos com qualidade e sabor para muitas famílias e crianças celíacas. Buscando novidades e parcerias para auxiliar no processo, com uma alimentação mais saudável e correta e uma vida sem privações de alegria e lazer.

 

Leia também:

- Café da Manhã mais que Saudável!

 

Pagina 2 de 3

  Seja nosso revendedor

  Curta nosso Facebook

  Pesquisa BemNutrir

Você possui alguma restrição alimentar?